quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Como contabilizar sinistros com o ativo imobilizado

Da mesma maneira que todos nós estamos sujeitos à um acidente, roubo, furto ou coisas do tipo, as empresas também podem passar por estas situações envolvendo seus bens. Para isso, existe a contabilização dos sinistros com ativos imobilizados.

A contabilização deste tipo de acontecimento na empresa é bem simples e parecida com a alienação (venda) de ativo imobilizado.

Vamos considerar que um veículo no valor de R$ 25.000,00 sofreu um acidente, sem possibilidade de recuperação e, além deste fato, a empresa não possuía seguro do mesmo. A contabilização seria a seguinte:

Valor do bem: R$ 25.000,00
Depreciação acumulada do bem: R$ 5.000,00


D – Perdas em sinistros com imobilizado – 25.000,00
C – Veículos – 25.000,00
Histórico – Vr. Baixa de veículo acidentado com perda total em xx/xx/xxxx

D – Depreciação Acumulada – 5.000,00
C – Perdas em sinistros com imobilizado – 5.000,00
Histórico – Vr. Baixa de depreciação acumulada referente à veículo com perda total em xx/xx/xxxx

Desta forma bem simples de contabilização, fica registrada a perda do veículo devido ao acidente. Porém, caso a empresa possua seguro deste bem, que é o mais comum hoje em dia, teríamos de acrescentar o lançamento referente à indenização devida pela seguradora para a empresa referente ao veículo perdido.

Valor da indenização: R$ 20.000,00

D – Caixa ou Banco – 20.000,00
C – Receita em sinistros com imobilizado – 20.000,00
Histórico – Vr. Indenização referente ao sinistro com veículo X em xx/xx/xxxx

Assim concluímos a contabilização de um sinistro com o ativo imobilizado de qualquer empresa e temos toda a movimentação financeira e física registrada contabilmente.